América Central,  Destinos,  México

Riviera Maya | O que Fazer em Sete Dias Para Além de Praia

México é bem mais que Riviera Maya, é certo. Nós queríamos umas férias do “dolce far niente” naquele mar do caribe. Mas o nosso objectivo era investir num sítio onde pudéssemos aliar isso à parte cultural. Já tínhamos visitado Punta Cana e por muito que as praias fossem maravilhosas, faltava o resto. E nós queríamos “o” resto.

Destino: Riviera Maya.

Esta foi uma viagem de amigos e a decisão foi conjunta e unânime. Reservámos o típico pacote tudo incluído numa agência de viagens, com partida de Madrid, uma vez que nos compensou bastante.

Fomos em Maio de 2015. Nunca sentimos tanto calor na vida, nem mesmo em Cuba.

A praia do resort era maravilhosa, como é óbvio. Mas estamos aqui para vos contar o outro lado: o que vivemos, as experiências que marcaram a nossa estadia neste paraíso mexicano.

#Akumal

Akumal é uma pequena baía situada entre as cidades de Playa del Carmen e Tulum, totalmente destinada à prática de snorkeling.

Chegámos a Akumal bem cedo. A praia costuma ficar lotada de turistas e o nosso guia queria proporcionar-nos um momento um pouco diferente. Esta foi a primeira paragem do nosso dia para podermos usufruir a experiência de forma calma e relaxada. Logo aí, percebemos que o Miguel tinha um profundo conhecimento da dinâmica dos locais e da forma como devia organizar o dia para nos proporcionar a melhor experiência possível.

Foi a primeira vez que fizemos snorkeling e adorámos. Conseguimos ver duas tartarugas gigantes e várias raias. Já para não falar na diversidade de peixes que nos rodeavam.

Se não tiverem kit de snorkeling existem várias Dive Shops onde se pode comprar ou alugar o equipamento.

# Isla Contoy

Aquela praia do México que nos deixa de queixo caído. A areia é tão branca e as águas…enfim, ver para crer.

Esta ilha está localizada no limite entre o Golfo do México e o mar das caraíbas. É uma reserva natural de várias espécies marinhas, refúgio de tartarugas e abriga várias aves em vias de extinção. Daí as visitas a Contoy serem controladas. Só existe um edifício na ilha, que serve de museu e abrigo.

O que devem fazer aqui? Aproveitar estas águas incríveis.

Fomos alertados, várias vezes, antes de chegar à ilha para não colocar protector solar se não fosse biodegradável. O objectivo é evitar a poluição da água de forma a preservar as espécies. Portanto, se a vossa tolerância ao sol for zero, já sabem que tipo de protector solar levar. Nós nem somos de apanhar escaldões, mas o sol aqui é bastante agressivo.

Quem avisa vosso amigo é!

# Isla Mujeres

Chegámos a Isla Mujeres depois de almoço, vindos de Isla Contoy. O que encontrámos foi totalmente antagónico. Se em Contoy temos um paraíso, com poucas pessoas e uma experiência de relaxamento, por outro lado, em Mujeres, temos as praias turísticas rodeadas de hotéis.

Sempre deu para relaxar debaixo de umas palmeiras que estavam mesmo a olhar para nós. Mas, na realidade, não tem nada de muito interessante a oferecer. Para nós, não justifica uma visita isolada.

# Aldeia Maya

Antes de chegarmos a Coba visitámos uma Aldeia Maya. E sim, entrar em casa desta família e perceber como vivem, foi literalmente o que fizemos.

Eles estão completamente familiarizados com as visitas turísticas. Apesar de ainda comunicarem no dialecto Maia e não percebermos o que dizem, são extremamente receptivos, comprovado pelos sorrisos e pela tortilla que nos ofereceram.

Eles são auto-suficientes, uma vez que têm as suas próprias plantações e criam animais. Continuam a preservar bastante os seus costumes e crenças.

É uma experiência muito enriquecedora. Damo-nos conta que às vezes não é preciso falarmos a mesma língua para comunicar.

É uma família feliz com o seu estilo de vida e depois de sairmos de lá surgiu aquela questão: quanto precisamos ter para sermos felizes?

# Coba

Coba é uma cidade localizada a 50 Kms de Tulum e alberga a pirâmide de Nohoch Mul, com 42 metros de altura. Subir até ao topo é uma experiência que não devem deixar de fazer. A recompensa está no cume: uma vista incrível sobre a floresta tropical de Coba. É, sem dúvida, a melhor parte da visita.

Para circular nesta antiga cidade maia, alugámos bicicletas por 50 pesos por pessoa.

#Tulum

Tulum, palavra Maia que designa barreira ou parede, é um local arqueológico situado ao largo do mar do caribe, que foi, em tempos, uma cidade Maia. Serviu Coba como porto de pesca e comercial e permaneceu habitada até à chegada dos conquistadores espanhóis.

Actualmente é um dos locais mais visitados no México para tirar aquela foto característica da Riviera Maya.

É uma visita interessante para conhecer a história do local, mas o impacto visual é o auge desta visita. As ruínas em cima de uma falésia rodeada das cores azuis turquesa do mar do caribe são um verdadeiro cartão postal.

#Grand Cenote

Esta foi, sem dúvida, uma das melhores experiências que tivemos no México.

Cenotes são cavidades naturais com zonas baixas completamente alagadas. O nome, no dialecto Maia, advém dessa característica. “Ts´onote”, significa terra baixa. Estes locais eram usados pela civilização Maia para sacrifícios.

Escolhemos o Grand Cenote, porque ficava enquadrado na excursão que íamos fazer nesse dia, visto que se localiza em Tulum, a caminho de Coba. Mas existem muitos outros que podem escolher.

Este cenote tem duas áreas completamente distintas. Uma, cheia de grutas escuras e profundas que vão para além da nossa visão e que estavam cheias de mergulhadores. A outra, é um autêntico paraíso, de águas azuis turquesa, zonas de areia límpida e cheia de peixes coloridos.

Foi uma experiência muito diferente de tudo o que fizemos e que aconselhamos vivamente. Um verdadeiro contacto com a natureza. Muita coragem, porque a água é gélida.

Nós já chegámos a meio da manhã e já havia muita gente no local, por isso, se querem desfrutar de uma experiência mais “privada” cheguem bem cedo. Não dá para aproveitar tudo de manhã não é?

Todas estas visitas foram realizadas com a Exploratours, marcadas via email ainda antes de chegarmos ao México. Encontrámos esta agência depois de alguma pesquisa e, ao lermos algumas críticas, não tivemos grandes dúvidas. Falavam de um português, Miguel Castela, que era incrível. E se é para escolher, vamos escolher o que é “nosso”. Longe de sabermos o que nos esperava. O Miguel, para além de já ter visitado meio mundo, já vive no México há muitos anos. As excursões, por norma, têm aquele lado mais chato quando o guia não consegue cativar a nossa atenção. Mas a nossa experiência com o Miguel foi muito leve e fluída, uma partilha de experiências e conhecimentos. A forma como ele cativa ao mesmo tempo que transmite o seu conhecimento é incrível. Se voltarmos ao México, certamente voltamos a escolher a Exploratours .

 

 

A Riviera Maya é muito mais do que praia e superou bastante as nossas expectativas. Só não fizemos mais excursões, porque também queríamos aproveitar o sol e tentar não chegar a Portugal de carteira vazia. Actividades não faltam e é por isso que queremos muito voltar. Uma semana não chega para a variedade de experiências que este país tem para oferecer.

Balanço: As cores da Riviera Maya são incríveis. Vão e vejam com os próprios olhos!

Partilhar

Comentar

%d bloggers like this: