Alentejo,  Centro de Portugal,  Destinos,  Europa,  Portugal

MARAVILHAS DO TEJO: DE VILA VELHA DE RÓDÃO A BELVER

Setembro foi mês de rumar ao sul. Quisemos conhecer as maravilhas do Tejo e, lá fomos nós, desde Vila Velha de Ródão a Belver. Já tínhamos planeado visitar Vila Velha de Ródão antes de descermos até ao Alentejo, no nosso roteiro de 7 dias pela região, mas vimo-nos obrigados a eliminá-la do percurso. No entanto, não ficou esquecida. Os Passadiços do Alamal e o famoso Castelo de Belver também já andavam debaixo de olho desde o ano passado, por isso, decidimos fazer um dois em um, e dedicar um fim de semana a explorar as maravilhas do Tejo.

Vila Velha de Ródão

Vila Velha de Ródão é uma vila raiana no distrito de Castelo Branco, na Beira Baixa, mas que nos faz ter um pé quase no Alentejo, uma vez que é limitada, a Sul, por Nisa. A abundância de recursos naturais garantiu a sobrevivência dos primeiros humanos na região, daí serem encontrados vestígios do tempo pré histórico.

Parte da Vila encontra-se numa área protegida, do Parque Natural do Tejo Internacional, juntamente com Nisa, Idanha a Nova e Castelo Branco. Este sítio foi declarado Reserva da Biosfera Transfronteiriça pela Unesco, por podermos encontrar bosques de Salgueiros, Azinheiras e Sobreiros, bem como as zonas de nidificação de águias, cegonhas e abutres. Inclusive, quando chegamos à zona do Castelo, é possível observar algumas destas aves.

Vila Velha de Ródão é uma das maravilhas à beira Tejo, onde encontram uma paisagem única, de harmonia entre o Homem e a Natureza.

 

Monumento Natural das Portas do Ródão
#Monumento Natural das Portas do Ródão

Depois de cruzar a Ponte de Vila Velha de Ródão, lá estão elas, as famosas Portas do Ródão. Este é um trabalho do tempo, porque nada se faz sem tempo. Nesta maravilha natural do Tejo, o rio cruza as duas paredes escarpadas de cerca de 170 metros de altura, da crista quartzítica da Serra das Talhadas. Parecem duas portas que foram trabalhadas de propósito para a passagem do curso de água, daí o nome de Monumento Natural das Portas do Ródão.

Monumento Natural das Portas do Ródão
#Castelo do Ródão ou do Rei Vamba e Capela de Nossa Senhora do Castelo

Do Monumento Natural das Portas do Ródão, é possível avistar, na montanha escarpada, o famoso e supostamente amaldiçoado Castelo do Rei Vamba. Depois de subirmos a encosta que torneia as Portas do Ródão, encontramos a Capela de Nossa Senhora do Castelo. Reza a lenda que foi fruto da promessa de uma barqueiro, aquando da sua situação de aflição, na travessia do Tejo, junto às portas do Ródão.

Capela de Nossa Senhora do Castelo
Vista para o Castelo, do Monumento Natural das Portas do Ródão

Castelo de Ródão ou Castelo do Rei Vamba, é indiferente o nome que lhe chamam. Foi mandado edificar pelo Rei Vamba, o último Rei dos Visigodos e reedificado pela Ordem dos Templários.

Hoje, só lhe resta a Torre e uma lenda de uma maldição de amor. Reza a lenda que a mulher do Rei Vamba se apaixonou por um rei Mouro que vivia do outro lado do Tejo. No fim de várias versões sobre o amor proibido, o Rei Vamba lançou a Rainha por uma das escarpas das Portas do Ródão. Antes de cair, a Rainha proferiu uma maldição e, por onde caiu, não tornou a crescer vegetação.

Lendas à parte, o lugar não deixa de ser parte importante da história com uma vista maravilhosa sobre o Tejo.

Castelo de Ródão
Castelo de Ródão ou do Rei Vamba
#Miradouro das Portas de Ródão

Este é, sem dúvida, um lugar a não perder ao visitar a vila. Situado junto ao Castelo de Ródão, o Miradouro das Portas de Ródão é uma das maravilhas do Tejo, onde podemos usufruir de uma vista desafogada sobre a paisagem do Parque Natural do Tejo Internacional. Do alto vemos os grifos que sobrevoam o miradouro e, lá em baixo, o Tejo é cruzado pelos barcos de passeio.

O rio, lá segue o seu curso até Lisboa mas, para trás, deixa esta vista de cortar a respiração onde as Portas do Ródão são o ex líbris.

Vista do Miradouro para a Ilha da Fonte das Virtudes
Vista do Miradouro para as Portas do Ródão

Belver

No segundo dia deste fim de semana dedicado às maravilhas do Tejo visitámos Belver, uma freguesia do concelho do Gavião, situada no Alto Alentejo

Já íamos com os objetivos bem definidos, visitar o Castelo e percorrer os Passadiços do Alamal.

Vista da Ponte de Belver
Ponte de Belver
Fonte Velha
#Castelo de Belver

O Castelo ergue-se, no alto da colina granítica da margem direita do Tejo. Desde a sua edificação, em 1194, já sofreu bastantes danos com o terramoto de 1755 e, o século XIX trouxe-lhe o abandono, tendo servido como cemitério da localidade.

Na idade média, pensavam na defesa da linha do Tejo. Hoje, subimos a este lugar e só conseguimos pensar na magnífica vista que podemos ter daqui. De um lado, a ponte de Belver, do outro, a Praia Fluvial do Alamal e, ao longe, a Barragem de Belver. Hoje, nos tempos em que não se pensam em guerras em Portugal, é tempo de aproveitar o presente que o passado nos deixou.

#Passadiços do Alamal

Os Passadiços do Alamal, estendem-se por 1,5 km à beira Tejo, com o histórico Castelo de Belver como pano de fundo. Apesar de terem sido destruídos pelos fogos de 2017, foram totalmente recuperados em 2019, graças ao esforço da autarquia local.

Estes passadiços não são extensos, como outros do nosso país e, por isso, são ideais para passeios em família. É um percurso rectilíneo, de dificuldade fácil, com início, ou na Ponte de Belver, ou na Praia Fluvial do Alamal. Nós começámos na ponte, portanto são 3 km para ir e vir. Como em qualquer percurso devem levar calçado adequado, água e, se se quiserem refrescar, não se esqueçam do fato de banho e da toalha para um mergulho na Praia Fluvial do Alamal.

Este passadiço, é, para nós, uma das maravilhas do Tejo. Um local ideal para fazer uma caminhada em família, em comunhão com a natureza. O passadiço serpenteia a margem esquerda do rio, com vista para as águas calmas, entre a barragem de Belver e do Fratel. Na paisagem onde se mistura o rio com os maciços graníticos, estamos com os pés na história do Alto Alentejo, pois do alto da colina, somos sempre acompanhados pelo Castelo de Belver.

# Praia Fluvial do Alamal

A Praia Fluvial do Alamal pode ser o início ou o fim da caminhada dos Passadiços do Alamal. Se este for o vosso término, nada como dar um mergulho nas águas do Tejo.

Esta praia tem todas as infraestruturas necessárias: bar, wc, chuveiros e podem escolher a areia ou a área verde. Para além disso, é uma praia que permite acesso a pessoas com mobilidade condicionada. Mas, nem só de descanso é feita esta praia, pois para além da caminhada que podem fazer junto ao Tejo, podem usufruir de passeios pelo rio, alugando gaivotas ou canoas, ou mesmo outros desportos mais radicais.

As margens do Tejo são um poço de história. Mas, além da história, podemos encontrar sítios que proporcionam atividades em comunhão com a natureza. Este, foi um fim de semana dedicado a explorar as maravilhas do Tejo e, com esta partilha, pretendemos mostrar que temos mais de #10milhõesderazões para ficar por cá.

Subscrever Blog

Sempre que publicarmos um novo artigo serão os primeiros a saber. Basta subscrever o blog para receberem a notificação de novos artigos por email.

Para organizares as tuas viagens...

Reserva aqui o teu alojamento ao melhor preço no Booking.


Preferes uma plataforma de alojamentos e experiências? Cria conta no Airbnb e recebe 20€ para gastares na tua primeira estadia.


Não viajes sem seguro, porque nunca sabes o que pode acontecer. Faz aqui o teu seguro de viagem com a IATI Seguros com 5% de desconto.


Estás farto das taxas bancárias que gastas em viagem? Usa o Cartão Revolut e diz adeus às taxas de levantamento.

Reserva a tua viagem através dos nossos links afiliados.
Poderás receber recompensas e estás a ajudar o blog.

Partilhar
  • 22
    Shares

Comentar

%d bloggers like this: